sexta-feira, 27 de maio de 2022

Solidariedade faz parte do show

Equipe de voluntários
Uma verdadeira rede de solidariedade na luta contra a fome está se edificando através de uma parceria da Opinião Produtora com igrejas e organizações sociais. 

A casa de repouso para idosos Doce Lar Sênior de Viamão, o Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD) e as paróquias do Redentor e da Ascensão, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, se uniram em uma parceira que começou em 2021 e consiste na arrecadação de alimentos nos eventos e shows que a produtora Opinião promove em Porto Alegre. 

Já ocorreram ações no Bar Opinião, Auditório Araújo Viana e, na noite de 20 de maio, foi no Pepsi On Stage com arrecadação de mais de 3 mil quilos de alimentos distribuídos em 5 núcleos ou projetos sociais. A produtora motiva frequentadores dos seus eventos e shows a entregar alimentos com o ingresso e as entidades parceiras disponibilizam pessoas voluntárias e fazem a logística de arrecadação e distribuição dos alimentos. Quem doa o alimento pode ter a certeza de que, através desta parceria, a sua doação passa por correto recolhimento e justa distribuição, chegando na mesa de quem mais precisa.

A Paróquia do Redentor, na Cidade Baixa, além de oferecer marmitas para pessoas em situação de rua, também repassa alimentos para aldeia indígena de Maquiné. O MTD apoia famílias das periferias de Canoas, Porto Alegre e região e também atende indígenas na BR 116. O Doce Lar Sênior de Viamão, antigo Lar Alice, beneficia pessoas idosas que não conseguem dispor de toda a renda necessária para garantir sua hospedagem na casa de repouso. E a Paróquia da Ascensão (Anglicana), através do projeto Ascensão Vida, oferece semanalmente café e almoço (acolhimento com banho, higiene e abordagem social) para pessoas em situação e rua no bairro Teresópolis, além de distribuir alimentos para famílias da periferia e comunidades quilombolas e indígenas. A Paróquia apoia a Pastoral Indigenista Anglicana (PIA) da Diocese Meridional em aldeias Guarani de Viamão, Guaíba, Porto Alegre e Camaquã.




quarta-feira, 27 de abril de 2022

Ascensão hospeda o 129º Concílio Diocesano

 

No dia 30 de abril a Diocese Meridional, da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil realizara o 129º Concílio Diocesano, que será hospedado pela Paróquia da Ascensão. Foram dois anos sem assembleia conciliar de forma presencial. Em 2020 não teve concílio e em 2021 ocorreu de modo virtual.
Neste ano o Concílio terá como tema "Reconstrói minha igreja" e a frase bíblica adotada por lema é “Vão para onde as águas são mais profundas e lancem as redes para pescar” (Lucas 5.4b).
A escolha do tema faz referência aos 100 anos de construção do templo da Ascensão, a paróquia que sedia o Concílio. Também se refere ao novo momento que a Igreja vive. Após o tempo de isolamento social com a pandemia é preciso reconstruir a vida comunitária. E o que vivifica a Igreja é a missão, por isso, o lema retirado do Evangelho segundo são Lucas 5.4b, desafia as comunidades para que "vão para onde as águas são mais profundas e lancem as redes para pescar”.
A Paróquia da Ascensão, que sedia o concílio, foi criada no dia 7 de agosto de 1916 e iniciou a construção da igreja em 13 de dezembro de 1921, onde celebrou o primeiro culto no Domingo de Páscoa do dia 16 de abril de 1922. E a cerimônia oficial de consagração do novo templo foi realizada um ano depois, durante um concílio, no Domingo da Ascensão, dia 10 de maio de 1923.
Por isso, neste ano de 2022 a Comunidade da Ascensão vem dedicando um período especial, entre o domingo de Páscoa e a festa da Ascensão do Senhor, para celebrar os 100 anos de construção da igreja.
E durante todo este ano a Paróquia quer dedicar esforços em favor da restauração do templo centenário, que precisa de uma reforma geral em seu telhado, entre outros reparos. A Ascensão é uma igreja sempre em missão para cuidar e zelar pela vida das pessoas que são templos do Espirito Santo de Deus.

sexta-feira, 27 de março de 2020

Coronavírus (COVID-19)

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1...


Leia mais: